André Braga

Setembro 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
29
30

Pesquise

 

Publicações

O eufemismo nosso de cada...

Moral da história

Pelo fim da “sofrência”

Com a faca e o queijo nas...

João, o desavindo

E o Oscar vai para

Reino animal

É promoção, quem vai quer...

Futuro

Sextou!

#ForaBolsonaro

O agro é pop

“Ô abre alas que eu quero...

Aquários

Versificados

Versificados

Mídia

For sale

A mascara caiu

Poema

Garagem Cultural - GC Zin...

Pérola de Broze - Desenca...

Jingle - Sabão Ypê

Poesia Visual

Peças Desenblogue

Mala Direta - Aspro

Texto justificativo - Man...

Doe Órgãos

Viva lá crise!

Analise 2 - Símbolos

Market Share

Ter Estilo

Marketing Sensorial

Símbolos e Logotipos - An...

Carômetros - Audácia Comu...

Peças

Me falta etiqueta?

Curta o curta - A alma do...

A Posse

Psicosoul

Galeria Photo Art Barata

Rede Record - Evolução do...

Tipos de Propaganda Polít...

Barack Obama - Garoto pro...

Lei da cidade limpa

Sessão fotográfica - Meli...

Arte ou publicidade?

Tome audácia

Aleatórios

Marketing esportivo

Confira também



subscrever feeds

Quarta-feira, 20 de Julho de 2022

O eufemismo nosso de cada dia

 

Tribos indígenas já foram “povos” e, assim como favelados, viraram “comunidades”;
O negro é “afrodescendente” (o mestiço nem existe mais);
O trabalhador virou “colaborador”, e o biscateiro, que já foi “profissional liberal”, agora é o “empreendedor”;
O idoso vive a “melhor idade”;
O mendigo agora é uma “pessoa em situação de rua”;
Transformaram o pobre na “nova classe c”;
Gays e lésbicas eram “GLS”, agora diluíram na sigla “LGBTQIA+”;
O miserável, que vive “abaixo da linha da pobreza”, passou a ter “insegurança alimentar”;
Até o cão, o cachorro, passando por “doguinho”, virou “pet”;
Tudo muda…
Mas o que nunca muda é a realidade, que continua sendo uma grande e imensa “matéria fecal”.

 

Publicado por AB Poeta às 02:59
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 8 de Junho de 2022

Moral da história

 

O ânus tatuado é o da Anitta

o buraco sem fundo é do sertanejo

o primeiro foi pintado com tinta

o segundo é um ralo de dinheiro

 

O primeiro é da esfera privada

o segundo abunda na pública

o primeiro serviu de propaganda

o segundo serviu de futrica

 

A fanqueira mostrou ao Brasil

o que o sertanejo escondeu

E o que todo mundo aprendeu?

Quem tem cu que cuide do seu!

 
Publicado por AB Poeta às 00:52
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Pelo fim da “sofrência”

 

Uma mero ânus tatuado
para descer até o chão
Uma lei que ninguém conhece a fundo
para incendiar a discussão
Um cowboy alienado que caiu do cavalo
e melou o “esquemão”
Agora todos sabem que o caipira
mama nas tetas do erário
na verba de saúde e educação
Falta agora a Justiça fazer força
mandar esfíncter a fora essa sujeira
laçar a quadrilha, botar na fogueira
antes da próxima farra de São João

 

Publicado por AB Poeta às 00:44
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Com a faca e o queijo nas mãos

 

A facada mentirosa

foi tudo pura encenação

Perfurou os órgãos públicos

esfaqueou foi a nação

 

Hoje grande parte passa fome

mas tem a faca e o queijo nas mãos

Amanhã derrubará o vagabundo

pelo voto na eleição

 

O capitão tem a cela a sua espera

vai com a “familícia” no camburão

será esquecido por seus asseclas

na lata de lixo, seu único quinhão

 
Publicado por AB Poeta às 00:34
Link do post | Comentar | ADD favoritos

João, o desavindo

 

João, o fanfarrão, só mente

duas renúncias, poucos amigos

um personagem antigo

pinóquio que não vira gente

 

Obrigado pela vacina

pelo menos nisso foi decente

de resto foi só ladainha

pose, nunca pegou no batente

 

Abreviou sua carreira política

com certeza continuará influente

a negociata você bem pratica

a isso sua privada é eficiente

 
Publicado por AB Poeta às 00:03
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 6 de Abril de 2022

E o Oscar vai para

 

Só mais uma piada sem graça
sobre aparências
A mulher como pivô da chacota
mais uma anedota
que reforça a diferença

Um tapa na cara foi pouco
pois há quem nem assim aprenda
e precisamos de homens
que não use a mulher
mas sim a defenda

Será que foi encenação?
Mesmo assim, foi merecido:
o tabefe na cara do bufão
o Oscar ao herói marido

 

Publicado por AB Poeta às 20:32
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2021

Reino animal

 

No capitalismo selvagem

o bode expiatório do Estado

serviu de desculpa ao touro

que com o rabo entre as pernas

saiu de mansinho, evitando latidos

 

Quem acabou latindo foi o gado

que cego de febre, não viu

comprou gato por lebre

 
Publicado por AB Poeta às 23:19
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Terça-feira, 23 de Novembro de 2021

É promoção, quem vai querer?

 
A crueldade do Estado
na ilegalidade do ambulante
faz desse desempregado
um criminoso constante
 
Nesse país de desabrigados
e da meritocracia fajuta
tentar sobreviver é um fardo
todo dia uma nova luta
 
Aqueles que seriam os obrigados
a tornar nossa vida mais justa
são os verdadeiros bandidos
já passou da hora de dar um “basta!”
 

 

Publicado por AB Poeta às 22:43
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 6 de Outubro de 2021

Futuro

 

O gosto da sopa de osso
na escuridão do fundo do poço
amarga a garganta do moço
sem futuro...

A quem ainda dá o endosso
ao boçal que está no congresso
quer ver o país em destroços
sem futuro...

“ele não” é nenhum colosso
nosso próximo passo
é derrubá-lo, mandá-lo ao fosso
e pensar no futuro...

 

Publicado por AB Poeta às 01:32
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 29 de Agosto de 2021

Sextou!

 

Sexta-feira é dia de beber
algo que deixou de ser pecado
O consumo já não o faz desmerecer
temos até monja ao nosso lado

Dizem que devo ser moderado
o que soa diferente da propaganda
mas a embaixadora nos faz criança
deixe-me beber e não encha o sacro

 

Publicado por AB Poeta às 18:40
Link do post | Comentar | ADD favoritos

#ForaBolsonaro

 

Age como bicho de esgoto
o escroto bolsorato
A milícia e sua família
formam a bolsoquadrilha
Asseclas tem de montão
a matilha de bolsocão
Pela boiada é amado
rebanho de bolsogado
Para completar o cenário
um monte de bolsotário
que o vê como messias
a pior das fantasias
Pelos idiotas idolatrado
só nos sobra o brado:
FORA BOLSONARO!

 

Publicado por AB Poeta às 18:28
Link do post | Comentar | ADD favoritos

O agro é pop

 

A fome era zero
agora elevou a numeração
O agro ficou pop
ganha mais com a produção
Dólar em alta
garante melhor arrecadação
O mercado interno
que pague mais pela mesma porção
Mas não se preocupe
sobrará ao menos os ossos
para a sopa, ou roer feito um cão

 

Publicado por AB Poeta às 18:22
Link do post | Comentar | ADD favoritos

“Ô abre alas que eu quero passar”

 

Desfilam os tanques de guerra
no país do carnaval
São somente carros alegóricos
não fazem bem, talvez o mal

Na avenida colorida
muitas fardas e medalhas
de heróis sem batalhas
e glórias inventadas

Uma selva de espoletas
dessa tropa em desuso
ao capitão que foi expulso
e a outros tantos picaretas

 

Publicado por AB Poeta às 18:14
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Terça-feira, 22 de Junho de 2021

Aquários

 

IMG_20210622_163525_856.jpg

 

Publicado por AB Poeta às 22:30
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quinta-feira, 17 de Junho de 2010

Versificados

 

Classificaram tudo:

Gente, animal

Flor, vegetal

Sonho, Produto

 

Tudo foi reificado

Rotulado

Pela nova ordem

 

Desordem dos embalados

Todos foram apurados

Segmentados, codificados

E viraram classificados

 

Onde se vende de tudo:

A alma, o tempo, o chão

O céu, o Eu, o pão

O amor, o sexo, a solidão

O amanhã...

 

Na contra mão dessa cultura

Linha dura e formal

Vem o Poeta que, informal

Com jogo de cintura

Propõe a ruptura

 

E faz da coisa o verso

Desmistifica a imposição

Com a sua composição

Torna o banal reverso

 

Desclassifica o Classificado

Com rimas, imagens e ardor

E nas palavras empregadas de labor

Anuncia os Versificados

 

Ler jornal

Nunca mais será igual

 

Publicado por AB Poeta às 18:47
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 16 de Junho de 2010

Versificados

 

Versificados, poesia em forma de anúncios classificados - http://versificados.blogspot.com/

 

Estes são os meus:

 

"Homem sarado procura mulher doente, de paixão, pois está cansado da vida sadia..."

 

"Homem cachorro procura dona, que de carinho e agüente os latidos. Negocia o uso de coleira"

 

"Homem carente procura mulher que procura homem carente. No meio dessa gente, se tiver uma, que se apresente"

 

“Procura-se: paixão cega, se perdeu no carnaval. Boa recompensa para quem achá-la”

 

“Vendo: coração pulsando firme, com sonhos semi-novos e esperança retificada; ou troco por outro de valor semelhante”

 

“Ver de amar (elo) a zul, toda de branco no altar”

 

"Alugo-me para temporada. Não lavo, não passo, não canso, só faço!"

 

@mundoid

 

Publicado por AB Poeta às 21:52
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Mídia

 

Sem média

A medida

Do Mídia

É mediar

O mote midiático

 

Quanto me custa por mil?

Quanto de verba virá?

Quanto custa o custo?

Quanto me custo pra mim?

 

A resposta é impactante

Saber o custo

Às vezes sai caro

 

Verba não é verbo

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 14:41
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quinta-feira, 8 de Abril de 2010

For sale

 

Vende-se

E compre

 

Pague o preço

Meu caro

 

Tudo foi liquidado

 

A Graça

Ganhou

A promoção

 

Virou amostra grátis

 

Sold out

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 13:20
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 14 de Fevereiro de 2010

A mascara caiu

 

 

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 02:41
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010

Poema

Clique no assunto: ,
Publicado por AB Poeta às 13:39
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags