Manifestações consciente do inconsciente. Contos e poesia crônica.

Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquise

 

publicações

Embate público

Mão amiga

O xis da questão

Lavrador

Declaração

Modelo

Encalço

Viagem

Numa fria

Poema antigo

Encontros

Ombrax

Sós

Coração violento

O que não passa?

Qual será a senha?

Marcados

Cada casa

A desmetamorfose

Paraíso

Noites de Verão

O relógio da vovó

Conto de Fadas

A fonte

Um par

contratempo

a bunda dela

ambidestro

mãe dos sem mães

advérbio

quando fomos nuvens

fossa

prateando

banquete

renda-se

pecado

translação

o fio vermelho

arte final

ossos do ofício

delinear

sinfonia

passarinha

fotogenia

Instagram

a rua e o rio

viva voz

anseio

o mar dentro da concha

escultura

Confira também

todas as publicações

subscrever feeds

Terça-feira, 9 de Outubro de 2018

Embate público

 

Os dois candidatos

mais votados

são os mais odiados

 

O que há com a nação?

Digo desamparado:

o Brasil é uma negação

 

Um país polarizado

pela limitação

Caso de despolitização

 

Democracia dá trabalho

ir atrás de informação

E brasileiro quer é churrasco

futebol, “descendo até o chão”

 

No país do rebolado

independente do resultado

vejo a pior previsão:

mais 4 anos de esperança

e de pura ilusão...

 

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 02:35
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

Mão amiga

 

Não há tristeza que não acabe

Não há amor que não a depure

A mão estendida sempre amiga

tem a dose certa do que a cure

 

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 21:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 12 de Janeiro de 2018

O xis da questão

 

Entre o exótico e o erótico

está o xis da questão:

um tipo que diferencia

a extravagância do tesão

 

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 21:49
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 9 de Novembro de 2016

Lavrador

 

Eu, sem teto

sem terra para plantação

com foice, marmelo e verso

invadi seu coração

totalmente abandonado

 

Nele fiz aceiro, fiz cercado

Arei terra , ergui barraco

Plantei semente, contente

e colhi um bocado

de coisas boas

 

Improdutivo, antes, em luto

agora ele pulsa, dá fruto

E meu alicerce cravado

na carne, legaliza minha condição

de invasor a namorado

 

Sem ter quem peça reintegração

de posse, desse loteado

criemos nossas crias, que brotam

e crescem livres, abençoados

Que aproveitem nosso legado

 

Clique no assunto: ,
publicado por AB Poeta às 00:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Outubro de 2016

Declaração

 

Não te amo perdidamente

Isso é coisa de novela

Gostar é algo que se revela

no ato de quem preserva

algo bom que se sente

 

Entre a maçã e a serpente

prefiro preservar o respeito

porque sou amante ciente

daquilo que guardo no peito

 

Esse amor barato, que se jura

da boca pra fora, eloquente

não tem corpo, ternura

não tem nada que o sustente

 

Gosto como quem cuida

Semeio o bem, sem disfarce

É assim que a relação perdura

Semente que nasce e renasce

 

Clique no assunto: ,
publicado por AB Poeta às 00:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sábado, 8 de Outubro de 2016

Modelo

 

O mendigo fotografado

ficou bonito

 

Homem oriundo do descarte

no fotograma agora é arte

 

Da rua à galeria de fotolitos

o mendigo virou mito

 

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 15:45
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 6 de Outubro de 2016

Encalço

 

Signos seguidos

persigo na cidade

Acidade sanguínea

fluxo, rotatividade

 

A rapidez do tempo

age no aço, edificante

E eu lento, nesse espaço

agonizo, insignificante

 

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 03:53
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 28 de Julho de 2016

Viagem

 

Não há mar

e nem há monte

Nessa estrada

longa e sinuosa

a barreira é superada

Travessia pela ponte

 

Não há mar

e nem há monte

Mas há amar

que nessa viagem

onde estamos de passagem

é o melhor horizonte

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 00:42
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sábado, 11 de Junho de 2016

Numa fria

 

O frio da noite

gela menos

do que o frio do olhar

 

A colher de sopa dada

não vale tanto quanto

uma colher de chá

 

Sem chance na rua

quem sabe nessa

madrugada Ela

não o levará?

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 17:35
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 7 de Junho de 2016

Poema antigo

 

Ontem reli um poema meu antigo

desses aplaudidos

Ambíguo

ele hoje, percebi que não faz

mais sentido

 

Contumaz

o que fiz, tudo aquilo

que nele era dito

era reflexo

do que até ali havia lido

 

Hoje leio outros livros

Novos assuntos

novos temas

E procuro novos sentidos

para escrever outros poemas

 

Clique no assunto: ,
publicado por AB Poeta às 01:32
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 2 de Junho de 2016

Encontros

 

Um encontro aceito

de um com o outro

E foi tudo feito fora

das zonas de conforto

 

O que parecia não ter jeito

aconteceu de peito aberto

e um com outro deu certo

Virou belo concerto

 

Naquele leito vazio

hoje já não deito

E o mundo que era torto

agora é o nosso porto

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 01:10
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 29 de Abril de 2016

Ombrax

 

O choro solitário

esmagado pela noite escura

Para aquela dor que adoece

há o amor que depura

 

Para as lágrimas salgadas

como um tipo de cura

ofereço muitas doses

do meu ombro doce

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 02:49
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sábado, 16 de Janeiro de 2016

Sós

 

Infeliz é quem não entende

que a solidão é só sua

 

Algo tão pessoal

nunca será dividido

 

Aproveite

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 02:23
link do post | comentar | ver comentários (4) | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2016

Coração violento

 

Dentro do meu

peito tem um

negócio que é

teu

 

E ele bate em

mim

porque está afim

de você

 

Violento

coração querendo

nossa relação

tem essa reação

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 23:38
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 12 de Novembro de 2015

O que não passa?

 

Eu passo o dia contando

Ela passa o dia cosendo

O tempo que passa correndo

justo hoje, passa lento...

 

Caminho a passos largos

Passo a praça do pássaro

que passa voando

assim como a massa

que atravessa na faixa

e os carros em marcha

que passam por cima de tudo

 

Daí eu paro, mudo

Observo o mundo

que passa assim

passando apressado

e vira passado

 

E apesar de tudo passando

como coisa que não se protela

percebo que algo não passa:

a vontade de vê-la

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 21:12
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 5 de Novembro de 2015

Qual será a senha?

 

Cadastre-se na Rede

e acesse o mundo

a imensidão

 

O nome do pai

do filho

o nome do cão

Datas de nascimentos

letras e elementos

que servem à ocasião

 

Fique socialmente conectado

Atado a tantos amigos

que nunca se verão

 

E guarde a senha

a sete chaves

das portas e das janelas

que apontam à solidão

 

Clique no assunto: , , , ,
publicado por AB Poeta às 22:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

Marcados

 

O tempo marcado

no pulso

marca meu rosto

move o mercado

Impulso

 

Mercador do destino

corre parado

Injusto

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 01:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 22 de Outubro de 2015

Cada casa

 

Cada casa

é um caso

 

O tempo magro

O caco fundo

A casca rasa

O vaso chulo

O ócio mudo

O cio vago

O acaso nulo

 

Cada casa

é um casulo

 

Clique no assunto: ,
publicado por AB Poeta às 18:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 16 de Setembro de 2015

A desmetamorfose

 

Numa certa manhã

ao despertar de sonhos intranquilos

Gregório da Silva

acordou

e encontrou-se

metamorfoseado

em um... Ser humano

sem ter nada de especial

 

Lento

levantou-se

Tomou banho, café

saiu de casa

ao trabalho

de coletivos

com saudades do tempo em que

era um

monstruoso e temido

inseto

 

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 12:57
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 10 de Setembro de 2015

Paraíso

 

Olhos se fecham, outros se abrem

Uma folha cai, a outra cresce

Na troca da vida, nossos corações batem

juntos. Jardim do Éden que floresce

 

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 12:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros

Livros por demanda

Poesias declamadas

Clique no assunto

todas as tags