André Braga

Junho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

João, o desavindo

Estaca zero

O mito da caserna

Mamãe, falei...

O presidente trans

Vagabundo à beira mar

É promoção, quem vai quer...

Até quando

Em praça pública

Entre urubus

Vacinados

Fratura exposta

Sobre nossos ombros

1000 dias de regresso

Futuro

Fome

Jair e o pé de feijão

A marcha dos valdevinos

A nova independência

O dia do golpe

#ForaBolsonaro

O agro é pop

Rega-bofe

Frio

Habeas porcos

Síndrome de Estocolmo

Necropolítica

Estafeta do capeta

Brasil à deriva

A flor do jardim

Corticoides

Bandeira preta

Outros 500?

Aos bolsolixos II

Tome a vacina

Picanha pra mim, pra você...

Fármacos

Aos anais da pandemia

Comparsas

Motoataxia

CPI dos acovardados

No vácuo

Covid

Por um fio

GEN. Ocida e a CPI

Haicais na lápide

Herói servil

Fura-fila

Ensaio sobre a cegueira

O pária

Confira também



subscrever feeds

Quarta-feira, 8 de Junho de 2022

João, o desavindo

 

João, o fanfarrão, só mente

duas renúncias, poucos amigos

um personagem antigo

pinóquio que não vira gente

 

Obrigado pela vacina

pelo menos nisso foi decente

de resto foi só ladainha

pose, nunca pegou no batente

 

Abreviou sua carreira política

com certeza continuará influente

a negociata você bem pratica

a isso sua privada é eficiente

 
Publicado por AB Poeta às 00:03
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Sexta-feira, 20 de Maio de 2022

Estaca zero

 

A pandemia trará consciência

às pessoas, uma novas atitude

disseram os otimistas

apesar da humana insipiência

 

O pensamento positivo ilude:

nem acabou a pestilência

e o “novo normal”, pura fantasia

voltou a ser a velha mania

 

Muita coisa retrocedeu, é vero

voltamos para a estaca zero!

De certo nessa confusão

é que a maioria lavou as mãos

 
Publicado por AB Poeta às 00:59
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Sexta-feira, 15 de Abril de 2022

O mito da caserna

 

Vejo aptidão e coragem

para cumprir a missão

mas são apenas sombras

que não refletem retidão

 

Frente ao fogo da churrasqueira

se lambuza o pelotão

picanha, salmão, cerveja

suja a farda de carvão

 

A fome só cresce no país

parte do povo está sem abrigo

com uma força armada dessa

quem precisa de inimigo?

 
Publicado por AB Poeta às 18:16
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 6 de Abril de 2022

Mamãe, falei...

 

Mamãe, falei que fui à guerra

mas fui mesmo na aventura

aproveitar, descolar uma paquera

ficar na boa com a turma

 

Mas, mamãe, falei merda

disse o que não deveria

quando voltei à nossa terra

encontrei uma outra guerra

 

E agora querem minha cabeça

por pura falta de lisura

mas vou culpar é a imprensa

por cavar minha própria sepultura

 
Publicado por AB Poeta às 20:26
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 30 de Janeiro de 2022

O presidente trans

 
Transtornado indivíduo
elemento transgressor
Transita entre o crime e o castigo
se transforma em inimigo
obscuras transações
 
Transcorvo com alucinações
transmite o que há de pior
intransigente, chulo, enganador
Transborda de instinto maligno
indigno, transviado, inglório
ainda bem que é transitório

 

Publicado por AB Poeta às 20:13
Link do post | Comentar | ADD favoritos (1)
Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2022

Vagabundo à beira mar

 

Um peixe fora d’água
que nada na contramão
Tamanha é sua gula
se entupiu de camarão
Nem mastiga direito, a mula
engole com sofreguidão
e nessa lama ainda tem lula
pra completar a indigestão

Mandrião, nada, nada
para morrer na praia
corrupto em imersão

 

Publicado por AB Poeta às 14:16
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Terça-feira, 23 de Novembro de 2021

É promoção, quem vai querer?

 
A crueldade do Estado
na ilegalidade do ambulante
faz desse desempregado
um criminoso constante
 
Nesse país de desabrigados
e da meritocracia fajuta
tentar sobreviver é um fardo
todo dia uma nova luta
 
Aqueles que seriam os obrigados
a tornar nossa vida mais justa
são os verdadeiros bandidos
já passou da hora de dar um “basta!”
 

 

Publicado por AB Poeta às 22:43
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Terça-feira, 16 de Novembro de 2021

Até quando

 

Não para a ciência
à máscara e à vacina
o capitão e seu quartel
seguem a mesma sina
agravam a situação
e assim como Pilatos
lavam suas mãos
A consequência de seus atos
mais mortos e sequelados
mais pobres e miseráveis
Pagarão os responsáveis?
Certeza é que lhes reservam a inglória
de ocupar a lata de lixo da história

 

Publicado por AB Poeta às 20:26
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Em praça pública

 

Aos montes na cidade

cabanas, abrigos, barracos

um campo de refugiados?

Não, é o largo da matriz

 

Nessa coletividade

toda sorte de azarados

o brasileiro é um exilado

em seu próprio país

 
Publicado por AB Poeta às 20:23
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 3 de Novembro de 2021

Entre urubus

 
As crianças que comem no lixo
fazem uma tremenda algazarra
nos olhos um outro brilho
parece até que é divertido
 
Viram-se latas, sacos, sobras
e os rostos dos transeuntes
Soco no estomago de quem passa
mas à indignação parecem imunes
 
Triste o país que deixa suas crias
largadas à própria sorte
O governo é afeito aos ricos
azar o seu que nasceu pobre
 

 

Publicado por AB Poeta às 23:54
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Vacinados

 

quem pisa na bola

fica de                    fora

da Vila famosa

 

cara de pau

          aqui não róla

 
Publicado por AB Poeta às 23:38
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Fratura exposta

 

Manter o pobre miserável

vivendo em eterno sacrifício

para esse governo deplorável

isso são ossos do ofício

 

Roa a quem roer

 
Publicado por AB Poeta às 23:26
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 6 de Outubro de 2021

Sobre nossos ombros

 

O país está no inferno
mas há dinheiro no paraíso
champagne, caviar, ternos
ilhas fiscais, bancos suíços

Ao trabalhador, sempre otário
as taxas, o peso do imposto
a fossa no fundo do poço
o prato com resto de osso
na carne o amargo desgosto

 

Publicado por AB Poeta às 01:50
Link do post | Comentar | ADD favoritos

1000 dias de regresso

 

Mil dias de (des)governo
mil dias de avacalhação
Enquanto a vaca vai pro brejo
a boiada vai á manifestação
em prol da desobediência
em prol da corrupção

Enquanto a fome só aumenta
a comitiva arrota leite condensado
e o futuro que se apresenta
é a cópia mal feita do passado
Mil dias de regresso
desordem em progresso

 

Publicado por AB Poeta às 01:46
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Futuro

 

O gosto da sopa de osso
na escuridão do fundo do poço
amarga a garganta do moço
sem futuro...

A quem ainda dá o endosso
ao boçal que está no congresso
quer ver o país em destroços
sem futuro...

“ele não” é nenhum colosso
nosso próximo passo
é derrubá-lo, mandá-lo ao fosso
e pensar no futuro...

 

Publicado por AB Poeta às 01:32
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Fome

 

fome.jpg

 

 

Publicado por AB Poeta às 01:17
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 29 de Agosto de 2021

Jair e o pé de feijão

 

Estão lhe pedindo feijão
mas só oferece o fuzil
Do ferro ao chumbo, munição
grão aqui só o de projétil

A farda só enche a barriga
dos asseclas do capitão
Quem vencerá essa briga?
A fome, a miséria, a corrupção

Vários exércitos de indigentes
se formam pelos cantos da nação
A desigualdade assola a gente
não se vê o fim dessa conflagração

 

Publicado por AB Poeta às 18:46
Link do post | Comentar | ADD favoritos

A marcha dos valdevinos

 

Somos todos patriotas
empunhamos o fuzil
atiraremos pelas costas
para a glória do Brasil

O golpe é a nossa marca
pela história já se viu
O capitão nós seguiremos
para a glória do Brasil

Muita grana no bornal
a fanfarra em tom febril
afunda a pátria iremos
para a glória do Brasil

Já não temos serventia
a sucata já ruiu
só nos resta a política
que se dane o Brasil

 

Publicado por AB Poeta às 18:35
Link do post | Comentar | ADD favoritos

A nova independência

 

Sete de setembro
o dia da baderna
os cabeças de papel
marcharão da caserna

Darão tiros de canhão
num futuro obscuro
pra seguir o capitão
e seu bando chulo

Um passado delirante
que aqui nunca existiu
militares militantes
pasto amado, Brasil!

 

Publicado por AB Poeta às 18:33
Link do post | Comentar | ADD favoritos

O dia do golpe

 

Nessa data tão festiva
dos desfiles de sucatas
será o dia da coroação

O início de uma dinastia
que já está em negociata
entre os piores da nação

Numa ação defectiva
encerrarão a democracia
e irão coroar o bufão

A nova pátria primitiva
“burrocrata” e caricata
se chamará Cudomundistão

 

Publicado por AB Poeta às 18:30
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags