André Braga

Maio 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

O rei, o servo, o sonho

Estaca zero

Falta de Nação

Forças Mamadas

O mito da caserna

Mamãe, falei...

Sobre o “vencedor”

Conflito

A volta ao inverno russo

O bandido de patente

Sobre a desigualdade soci...

Aleluia no país do carnav...

belicismo

Confira também



subscrever feeds

Sexta-feira, 20 de Maio de 2022

O rei, o servo, o sonho

 

Sonhei um dia em ser rei
Por sonhar que ganhava a guerra
acordei, guerreei e venci!
Escrevi meu nome numa era
Não importa quem matei
nem quantas vezes nessa terra
fiz guerras quem nem lutei
pois eu sonho e outro esmera
dá o sangue, luta feito fera
pelo simples sonho que sonhei
Mas um dia não mais acordarei
e esse povo que nunca desperta
dará o sangue, fará a guerra
e morrerá pelo sonho de outro rei

 

Publicado por AB Poeta às 01:14
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Estaca zero

 

A pandemia trará consciência

às pessoas, uma novas atitude

disseram os otimistas

apesar da humana insipiência

 

O pensamento positivo ilude:

nem acabou a pestilência

e o “novo normal”, pura fantasia

voltou a ser a velha mania

 

Muita coisa retrocedeu, é vero

voltamos para a estaca zero!

De certo nessa confusão

é que a maioria lavou as mãos

 
Publicado por AB Poeta às 00:59
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Sexta-feira, 15 de Abril de 2022

Falta de Nação

 

A tropa toda em forma

em punho, o fuzil

"aprontar, preparar...

fogo amigo!"

gira o espeto no brasio

 

Enquanto o povo sucumbe de desnutrição

a armada força se empanturra

Já não basta pagarmos pela farra

agora bancamos também a ereção

 

A vergonha não veste camuflado

e o povo não demonstra indignação

os militares já mostraram seu lado

falta ao povo entender que é Nação

 
Publicado por AB Poeta às 18:50
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Forças Mamadas

 

Para elevar o moral da tropa

diminuir a solidão do mar

elevar a cadência aos céus

um “azulzinho” para excitar

 

E depois da churrascada

prótese a quem estiver sem fuzil

é hora do fogo amigo

broxa aqui é para pintar meio-fio

 

Um “viva” às Forças Mamadas

patriotas assim nunca se viu

embuste que esconde a mamata

farra armada, Brasil!

 
Publicado por AB Poeta às 18:25
Link do post | Comentar | ADD favoritos

O mito da caserna

 

Vejo aptidão e coragem

para cumprir a missão

mas são apenas sombras

que não refletem retidão

 

Frente ao fogo da churrasqueira

se lambuza o pelotão

picanha, salmão, cerveja

suja a farda de carvão

 

A fome só cresce no país

parte do povo está sem abrigo

com uma força armada dessa

quem precisa de inimigo?

 
Publicado por AB Poeta às 18:16
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 6 de Abril de 2022

Mamãe, falei...

 

Mamãe, falei que fui à guerra

mas fui mesmo na aventura

aproveitar, descolar uma paquera

ficar na boa com a turma

 

Mas, mamãe, falei merda

disse o que não deveria

quando voltei à nossa terra

encontrei uma outra guerra

 

E agora querem minha cabeça

por pura falta de lisura

mas vou culpar é a imprensa

por cavar minha própria sepultura

 
Publicado por AB Poeta às 20:26
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Sábado, 12 de Março de 2022

Sobre o “vencedor”

 

heróis e assassinos
assassinos heróis
aproveitadores imundos
a ordem dos tanques
destrói o produto
o trauma não sai da carne
a dor tende a ser extrema
e a poesia na guerra
é ilusão de cinema
o resto é história…

 

Publicado por AB Poeta às 13:51
Link do post | Comentar | ADD favoritos

Conflito

 

a bravura dos que combatem
a dor de quem se desterra
desânimo, valentia
há quem acerta
há quem erra
só não há
poesia
na guerra
!
!
!

 

Publicado por AB Poeta às 13:46
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2022

A volta ao inverno russo

 
Avante camarada
pela foice e o martelo
preste sua continência
aos heróis vermelhos
 
Você é só um reacionário
mero cabeça de prego
um velhaco, oportunista
vai congelar em nosso inverno
 
Volta à sua pátria armada
de mamatas e flagelos
e conduza sua boiada
a morrer pelo cutelo
 

 

Publicado por AB Poeta às 20:10
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2022

O bandido de patente

 
Apertou 17, apertou o gatilho
“ele tinha cor de ladrão”
mas era só o vizinho
 
Militar ou bandido
todos vivaram inimigos
o tiro vem de qualquer direção
 
No fim dessa história
o sargento assassino
pode chegar a capitão
 
E por repetição do destino
o capitão delinquente
pode virar presidente

 

Publicado por AB Poeta às 22:31
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Terça-feira, 4 de Janeiro de 2022

Sobre a desigualdade social

                         a fome de justiça
          aguça a sede de vingança
          como nenhuma
                                    se alcança
   quem agoniza é a esperança
                     de barriga vazia

Publicado por AB Poeta às 21:35
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 5 de Abril de 2020

Aleluia no país do carnaval

 

Diga-me com quem andas

que digo quem tu és!

Infinita bandalheira

fascismo à brasileira que

rima “goebbels” com “god bless”

 

Publicado por AB Poeta às 17:57
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Domingo, 14 de Setembro de 2014

belicismo

 

entre

o bucólico

e o bélico

a guerra

que queima napalm

da mão de

poucos

 

aflito

nada belo conflito

no (w)ar

 

 

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 17:48
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags