André Braga

Outubro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
24
25
27
28
30

Pesquise

 

Publicações

O dia do Saci

Eterno halloween

A fruta proibida

Constructo

O "astronada"

Oito vezes 10

Real indo pro buraco

O diamante da cidade

Para Florbela

Restos da quarentena

Seres do pântano

Curupira pirofágico

Do verde às cinzas

O amanhã a deus pertence

Churrasco

O general de pijama

A covid e o covil

Quando tudo passar

Filho da pátria

Infectados

Quiromania nossa de cada ...

Pasto Brasil II

Asas à burrice

Brincadeiras

Tiro curto

Pasto Brasil

O uso da máscara

Chapada

Fôdelis

Feito cães

Ladainha

Encruzilhada (carrefour)

Domicílio íntimo

Desesperar

Waldhar

Vacina

Canetazul

Coquetel da morte

Delta a dois

Heroína nacional

O talco anal do palhaço

Uma droga

A cura

Fale, Queiroz

Ave maria

19/06

Um café pra dois

A Caverna do Dragão

A peste

O “trezentismo”

Confira também




subscrever feeds

Domingo, 27 de Setembro de 2020

Para Florbela

 

Às vezes escrevo versos raros

tão raros que os guardo para ti

Versos afeitos aos teus ardorosos

poemas, os mais cálidos que já li

 

Teço, de raro em raro verso

mesmo com vocabulário parco

uma ode que a ti com eles faço

fulgor sincero do meu peito emerso

 

E por essas linhas mal traçadas

dois tercetos duas quadras

rogo à su'alma de bela poetiza

 

Nossas vidas em cosmos separadas

mas por afinidade outrora unidas

se aproximam agora por essa poesia

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 18:01
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags