André Braga

Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

Sobre nossos ombros

1000 dias de regresso

O agro é

Futuro

Clara escuridão

Fome

Trambolho

Criacionismo

Jair e o pé de feijão

Sextou!

A invasão

A marcha dos valdevinos

A nova independência

O dia do golpe

#ForaBolsonaro

O agro é pop

Rega-bofe

Medidas

“Ô abre alas que eu quero...

o pulso ainda pulsa...

Tempos frios

Espelho meu

Frio

Expiação

Mitomania

Tropa laranja

um poema solto no espaço....

Copropolítico

Marcha do xilindró

Fecopolítico

Credo

Habeas porcos

Síndrome de Estocolmo

Necropolítica

Nas ruas

Já vai tarde

Estafeta do capeta

O homem sem qualidade

Dor nossa de cada dia

A alegoria como verdade

2022

Golpistas

Brasil à deriva

Marchinha do militar com ...

"Eggo"

A flor do jardim

Aquários

Cala boca já morreu

Corticoides

Bandeira preta

Confira também



subscrever feeds

Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Tal

 

I

 

Um léxico oco

 

Parece que tenho a palavra

na boca

Digo, digo, digo

mas não consigo dizer a tal palavra certa

(nem sei se há palavras certas)

 

Algo assim

tal como você é

Desse jeito assim

(Não sei...)

 

II

 

Os adjetivos estão gastos

Escritores perdem tempo repetindo-os

na tentativa de reescrevê-los

Inútil

 

III

 

Quero

Tê-la assim

Assim agora

Agora assim como você é

 

Se não há palavras para descrevê-la

é porque transcendeu a idéia de beleza

 

Talvez esse tal tempo que passa

um dia escreva uma só tal palavra

que seja assim

tal como você é

 

 

"TAL. Instado sem cessar a definir o objeto amado, e sofrendo com as incertezas dessa definição, o sujeito amoroso sonha com uma sabedoria que lhe faria apreender o outro tal como é, exonerado de todo adjetivo."

Fragmentos de um discurso amoroso - Roland Barthes

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 18:51
Link do post | Comentar | ADD favoritos
2 comentários:
De Naty a 19 de Outubro de 2010 às 16:41
... se o poeta um dia conseguir decifrar tudo, ele deixa de ser poeta e virá profeta rs
De AB Poeta a 19 de Outubro de 2010 às 17:03
humm... não quero decifrar, acho que quero é complicar mais... se eu decifrar pode ser que eu não goste do que encontre. ;-)

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags