André Braga

Maio 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

O rei, o servo, o sonho

Burnout

Estaca zero

Vila Rica

Quinto dos infernos

O sacro de Ouro Preto

No compasso dos corações

Cegueira voluntária

Virando fumaça

Falta de Nação

Forças Mamadas

O mito da caserna

I did it my way…

São Paulos*

E o Oscar vai para

O pai tá on… onde?

Mamãe, falei...

Sobre o “vencedor”

Conflito

Sempre presente

Banco Nacional de Humanid...

Bichos escrotos

Laudêmio

A volta ao inverno russo

O bandido de patente

O relógio de areia

O presidente trans

O reservista

Uma estória triste de pes...

E ela se foi...

Vagabundo à beira mar

deus ex machina

Estatística de natal

Sobre a desigualdade soci...

só os ossos

...

Sobre a união

Merdonça no ventilador

Reino animal

Tauromaquia

É promoção, quem vai quer...

Ensejo

Até quando

Em praça pública

Guilhotina

Perto do fogo

Fezes de cada dia

Passageiro

...

Armadilha

Confira também



subscrever feeds

Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Tal

 

I

 

Um léxico oco

 

Parece que tenho a palavra

na boca

Digo, digo, digo

mas não consigo dizer a tal palavra certa

(nem sei se há palavras certas)

 

Algo assim

tal como você é

Desse jeito assim

(Não sei...)

 

II

 

Os adjetivos estão gastos

Escritores perdem tempo repetindo-os

na tentativa de reescrevê-los

Inútil

 

III

 

Quero

Tê-la assim

Assim agora

Agora assim como você é

 

Se não há palavras para descrevê-la

é porque transcendeu a idéia de beleza

 

Talvez esse tal tempo que passa

um dia escreva uma só tal palavra

que seja assim

tal como você é

 

 

"TAL. Instado sem cessar a definir o objeto amado, e sofrendo com as incertezas dessa definição, o sujeito amoroso sonha com uma sabedoria que lhe faria apreender o outro tal como é, exonerado de todo adjetivo."

Fragmentos de um discurso amoroso - Roland Barthes

 

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 18:51
Link do post | Comentar | ADD favoritos
2 comentários:
De Naty a 19 de Outubro de 2010 às 16:41
... se o poeta um dia conseguir decifrar tudo, ele deixa de ser poeta e virá profeta rs
De AB Poeta a 19 de Outubro de 2010 às 17:03
humm... não quero decifrar, acho que quero é complicar mais... se eu decifrar pode ser que eu não goste do que encontre. ;-)

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags