André Braga

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

Fecofilia

O fosso

Máximo X Mínimo

Cordialidade

Dívida histórica (ressurr...

O culto

Passando a sacolinha

Alô, câmbio

Mercado da fé

Haicais na lápide

Armada

O supremacista pardo

A verdade sobre a mentira...

Primeiro de abril

Herói servil

Estreitando relações

xou da xoxa

Neopentecostal no país do...

Fura-fila

Ensaio sobre a cegueira

Arrebatados

O pária

Diálogos desencontrados

Voto impresso

Sobre nossa política

Cancelamento

Bocaberta

Pragas

Carnacaserna

Fazendo a feira

Fartura

Ménage matinal

Gata borralheira

Bonito na foto

Adestrado II

Adestrado

Corpo incivil

Tomando no centrão

Homem ao mar II

Vacina brasileira

Homem ao mar

Intolerâncias

Como as ruas já diziam

Piada mundial

Impeachment já!

Feliz Natal

Doenças nossas de cada di...

Madrugar

O dia do Saci

Eterno halloween

Confira também




subscrever feeds

Terça-feira, 12 de Outubro de 2010

Na minha Morada

 

Ele edificou várias moradas

Entre corpos, planetas e dimensões

Mas, Anjo, se for escolher uma

More em mim

 

More em mim Anjo

Meu corpo guarda

Quartos, porões

Diversões, praças e paixões

 

More em mim Anjo

Abra as janelas dos meus olhos

Divida comigo o horizonte

Faça-me ver além

 

More em mim Anjo

Ocupe meus quartos

Deite em minha cama

Lençóis puros esperam

Para pecar conosco

Peque em mim

 

More em mim Anjo

Meu colo-leito

E meus ouvidos bobos

Aguardam quentes

Seus piores dias

Chore em mim

 

More em mim Anjo

Meus pés querem seguir teus caminhos

Minhas mãos querem formar pares com as tuas

As duas, duas a duas

Serão uma

 

More em mim Anjo

Minha boca quer comer da tua

E em minha mesa se põe

Os alimentos da alma

Farte-se em mim

 

More em mim Anjo

E me ajude a limpar os porões

Cheio de coisas empoeiradas

Passados que não quero mais

Limpemos os nossos porões

 

More em mim Anjo

A sala vermelha e principal

Onde corre a vida

Pulsa firme e forte

O desejo de abrigar-te

 

More em mim Anjo

Caminhe pelos meus corredores

Um labirinto onde não há como se perder

Pois todos os caminhos terminam

No abraço

 

Ele edificou várias moradas

Entre planetas, corpos e dimensões

Mas te ofereço, Anjo

A mim como morada

E te convido

A edificar algo divino

(Na Morada minha)

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 23:03
Link do post | Comentar | ADD favoritos
6 comentários:
De Naty a 19 de Outubro de 2010 às 16:47
Suspirante isso...
De AB Poeta a 19 de Outubro de 2010 às 17:07
hummm... de você não cobro o aluguel, que tal?
De Andrea C W a 8 de Novembro de 2012 às 03:37
Muito bom...adorei concerteza a minha favorita..obrigada por dividir...bjuss
De AB Poeta a 11 de Novembro de 2012 às 14:38
Obrigado, Andrea, pelo comentário!

Fique à vontade para comentar o que quiser.

Bjos
De Andrea C W a 8 de Novembro de 2012 às 03:40
A partir de agora minha favorita..obg por dividir..bjoss
De AB Poeta a 11 de Novembro de 2012 às 14:39
Opa! Vlw, por esse outro comentário!


Bjos

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags