Minhas poesias.

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

A peste

O “trezentismo”

Amor nos tempos de corona...

Aos que abanam o rabo

É frias

Embate chucro

Fim de namoro

O grande mentecapto

Sacro cheio

A nova política

Bandeirolas

Próxima cena

O churrasco

João, o fanfarrão

Regina, let's pum

O pelotão caterva

Epitáfio

O pobre brasileiro

A costureira

E daí?

É bolsodória!

Labirinto

O capitão chupeta

A canetada saiu pela cula...

Aleluia no país do carnav...

Fanáticos FC

A verdadeira história de ...

Amor nos tempos de corona...

Quarentena

Da natureza

Flatulência mental

Do amor que er[r]a

Canção do Exausto

Mineral

Joker

Torcedores FC

O alcoólatra

Animais e refeições

Remoenda

Joinha

A riqueza amazônica

Astros ilícitos

Estrela submersa

Triturados

Manhãs bragantinas

A gaiola

Aquífero paulistano II

O laranjal

Black Friday

Aquífero paulistano

Confira também




Todas as publicações

subscrever feeds

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

2 anos no ar

 

Nem parece, mas já faz dois anos que o Mundo ID está a deriva nesse mar caótico e (des)informacional que é a internet. A primeira postagem, uma brincadeira totalmente sem pretensão alguma com o nosso ex-vice-presidente Marco Maciel, que acabou indo parar no Desenblogue (mas isso é outra história) seria apenas o começo de algo que me levaria muito mais longe.

 

Este blog começou por incentivo de uma ex-professora de faculdade, que depois de ler um texto que fiz para a aula de filosofia, ficou encantada com a organização das minhas palavras e idéias. Publiquei mais alguns textos acadêmicos, e só depois de um tempo passei a escrever com mais “liberdade”. Algumas crônicas, contos, idéias sem pé nem cabeça... A poesia veio bem depois.

 

Depois de virar vício e paixão, as poesias contidas no blog viraram um livro: Poemas Errados (dias intranqüilos). Nunca em toda minha vida pensei que fosse publicar um livro, ou que teria algum conto ou poema publicado de forma física. Graças ao blog, hoje sou escritor. Além do meu livro, fui publicada em diversas seleções (acho que são dez no total) da Câmara Brasileira de Jovens Escritores e num livro de poemas do Instituto de Filosofia de MT.

 

Escuto muita gente falando que tem textos engavetados, que não tem coragem de mostrá-los a ninguém. Isso é um erro. Sugiro a todos que pensam assim que montem um blog e que publiquem esses textos. Muita gente vai ler e, com toda certeza, os incentivarão a escrever cada vez mais. Coloquei um contador de visitas no meu blog, a pouco mais de três meses, e para minha surpresa ele já passou das 10.000 visitas! Para mim esse número é simplesmente inacreditável! Façam um blog, recomendo!

 

Outra coisa que se diz muito sobre os blogs, e sobre a internet também, é que nela se produz muito conteúdo ruim, sem qualidade. E quando escuto isso eu me pergunto: e que meio de comunicação que não produz coisas ruins? A TV é o maior exemplo deles, ou não? As coisas ruins fazem parte de qualquer coisa. Pior do que ler um blog ruim é ler um livro ruim... Não dêem bola para os comentários negativos sobre a internet, não vale a pena.

 

Dois anos depois de um começo despretensioso, já tenho um livro lançado e vários textos espalhados na rede por ai... Até aonde será que este blog irá me levar?

 

Clique no assunto: ,
Publicado por AB Poeta às 15:51
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Clique no assunto

todas as tags