André Braga

Janeiro 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

deus ex machina

Estatística de natal

Sobre a desigualdade soci...

só os ossos

...

Sobre a união

Merdonça no ventilador

Reino animal

Tauromaquia

É promoção, quem vai quer...

Ensejo

Até quando

Em praça pública

Guilhotina

Perto do fogo

Fezes de cada dia

Passageiro

...

Armadilha

Caiu na rede

Entre urubus

Anjo alado

Ao mestre com carinho

Vacinados

Entre mundos

Fratura exposta

Sobre nossos ombros

1000 dias de regresso

O agro é

Futuro

Clara escuridão

Fome

Trambolho

Criacionismo

Jair e o pé de feijão

Sextou!

A invasão

A marcha dos valdevinos

A nova independência

O dia do golpe

#ForaBolsonaro

O agro é pop

Rega-bofe

Medidas

“Ô abre alas que eu quero...

o pulso ainda pulsa...

Tempos frios

Espelho meu

Frio

Expiação

Confira também



subscrever feeds

Domingo, 15 de Agosto de 2010

Lendas das pedras que rolam

 

No ônibus mágico que trilha as pautas

Paul disse a John que Léri é bi

E George, o que já foi Boy

Disse para o velho Roy

Que gostaria de ser uma linda mulher

 

Bob o jardineiro

Luta pelo verde e o orvalho

Quer que a vida seja mais natural

E sopra o divino para o infinito

 

Jim desejando o fim

Evocou seu xamã

E numa certa manhã

Fechou sua última porta

 

Madonna, mãe virgem e santa

Dá o peito aos lábios

Do garoto Jesus

Depois apara-o no colo (do útero)

 

Janes e Bob Mcgee

Admiram o cozinheiro Jimi

Preparar seu apimentado

Psico Chilli voodoo

 

No fliperama:

Quem?

O feiticeiro cego!

É a bola da vez

Próximo!

 

Na bifurcação

Entre a estrada do Céu

E a da Estrela

Seguimos a estrada

Do inferno

 

Que de um lado é possível ver

Os cavaleiros alados

A serviço de Satã

Cuspirem sangue

E pisarem em pássaros

 

E do outro, um velho senhor

Bruxo que aos sábados

Come morcegos vivos

E faz salada de ratos

 

O tempo rápido encolhe

A cada ano igual que passa

E de volta à nossa casa

Percebemos que ele nos tolhe

 

E rolam as pedras...

E morre a carne...

E ficam os mitos...

 

Nessa viagem

Que apenas está começando

 

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 03:52
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags