André Braga

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

Dívida histórica (ressurr...

O culto

Passando a sacolinha

Alô, câmbio

Mercado da fé

Haicais na lápide

Armada

O supremacista pardo

A verdade sobre a mentira...

Primeiro de abril

Herói servil

Estreitando relações

xou da xoxa

Neopentecostal no país do...

Fura-fila

Ensaio sobre a cegueira

Arrebatados

O pária

Diálogos desencontrados

Voto impresso

Sobre nossa política

Cancelamento

Bocaberta

Pragas

Carnacaserna

Fazendo a feira

Fartura

Ménage matinal

Gata borralheira

Bonito na foto

Adestrado II

Adestrado

Corpo incivil

Tomando no centrão

Homem ao mar II

Vacina brasileira

Homem ao mar

Intolerâncias

Como as ruas já diziam

Piada mundial

Impeachment já!

Feliz Natal

Doenças nossas de cada di...

Madrugar

O dia do Saci

Eterno halloween

A fruta proibida

Constructo

O "astronada"

Oito vezes 10

Confira também




subscrever feeds

Quinta-feira, 6 de Maio de 2010

Sol a cio

 

Ao sul

Do seu

Seio (macio)

O sol

Nasce

A cio

 

Sem ser

Seu

Norte

Soul

(só) Vazio

 

Somos um

Somos som

Somos rio

 

No leito

Sol a sol

Somos soul

Sol a cio

 

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 14:10
Link do post | Comentar | ADD favoritos
6 comentários:
De Poetas do Caos a 8 de Maio de 2010 às 14:14
Excelente! Parabéns!
De AB Poeta a 8 de Maio de 2010 às 14:49
Vlw brother! vou conferir o myspace de vocês. abrçss
De Valdecy Alves a 12 de Maio de 2010 às 20:39
Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

www.valdecyalves.blogspot.com
De AB Poeta a 12 de Maio de 2010 às 22:13
Vlw pelo comentário. Vou ver seu blog.

Abrçss
De valéria tarelho a 25 de Maio de 2010 às 17:59
perfeito!
fiquei uns dias sem tuitar, quando vc aprontar essas maravilhas, me manda por e-mail :)

amei, amei!

beijo!
De AB Poeta a 25 de Maio de 2010 às 18:45
OK! Eu também tinha esquecido de twittá-lo (olha ai uma palavra nova!)

Bjs

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags