André Braga

Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

Sobre nossos ombros

1000 dias de regresso

O agro é

Futuro

Clara escuridão

Fome

Trambolho

Criacionismo

Jair e o pé de feijão

Sextou!

A invasão

A marcha dos valdevinos

A nova independência

O dia do golpe

#ForaBolsonaro

O agro é pop

Rega-bofe

Medidas

“Ô abre alas que eu quero...

o pulso ainda pulsa...

Tempos frios

Espelho meu

Frio

Expiação

Mitomania

Tropa laranja

um poema solto no espaço....

Copropolítico

Marcha do xilindró

Fecopolítico

Credo

Habeas porcos

Síndrome de Estocolmo

Necropolítica

Nas ruas

Já vai tarde

Estafeta do capeta

O homem sem qualidade

Dor nossa de cada dia

A alegoria como verdade

2022

Golpistas

Brasil à deriva

Marchinha do militar com ...

"Eggo"

A flor do jardim

Aquários

Cala boca já morreu

Corticoides

Bandeira preta

Confira também



subscrever feeds

Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

Ser e Ter (Documentário)

George Lopez é professor de uma pequena escola na região rural da França, na pequena cidade de Auvergne, onde leciona para uma turma de 13 alunos, de quatro a treze anos, escola de uma turma só. Muito parecida (guardadas suas devidas proporções, claro!) as escolas no interior da região norte/nordeste do Brasil.


Com a câmera parada e sem nenhuma interferência no dia-a-dia da escola, o diretor Nicolas Philibert capta toda a relação humana que se constrói durante o ano letivo. Aos cinqüenta e cinco anos, trinta e cinco deles de profissão, o professor George Lopez, que mantém certa rigidez na sala, conquista o respeito de seus alunos falando de uma forma direta e clara, e sempre sendo atencioso com sua turma.


O documentário levanta a questão do relacionamento na escola, dos professores com os alunos, e entre alunos. É uma realidade bem diferente, já que se trata de uma escola de uma cidade pequena, mas mesmo assim, deixando esse fato de lado, onde foi parar o relacionamento afetivo entre professor e aluno? Ser e Ter é calmo, tranquilo, bucólico e, às vezes, invejável. É um cotidiano simples, distante dos das grandes cidades. É um documentário que mostra que há sim possibilidade de algo melhor, com relação à forma de aplicação do ensino.


A curiosidade das crianças é uma atração a parte. Mesmo com a presença constante da câmera, o documentário não perde sua naturalidade.
Um outro valor apresentado foi à ajuda dos familiares nos deveres escolares. Hoje, devido a essa pressa constante (que nunca acaba e, pior, nunca chega a lugar algum) a família é cada vez mais uma unidade diluída. Todos trabalham, e quando chegam em casa, cada um tem seu canto. O dever-de-casa do filho não é mais feito com o auxílio dos pais, e sim somente com o dos professores. É pena, pois não há tantas (estou sendo otimista) escolas como a retratada no documentário.


Não consegui criar uma relação direta do nome com o filme. Talvez algo entre Ser aquilo e Ter aquilo? Não sei. Mas o olhar final do professor, quando chegou o final do período escolar, em que os alunos saem de férias, foi o que me chamou a atenção: se Sou professor, quando Tenho alunos, o que Sou, quando não os Tenho? Um olhar perdido...

 

Assista: Ser e Ter (França, 2007) – Direção de Nicolas Philibert

 

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 21:32
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags