Minhas poesias.

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

A peste

O “trezentismo”

Amor nos tempos de corona...

Aos que abanam o rabo

É frias

Embate chucro

Fim de namoro

O grande mentecapto

Sacro cheio

A nova política

Bandeirolas

Próxima cena

O churrasco

João, o fanfarrão

Regina, let's pum

O pelotão caterva

Epitáfio

O pobre brasileiro

A costureira

E daí?

É bolsodória!

Labirinto

O capitão chupeta

A canetada saiu pela cula...

Aleluia no país do carnav...

Fanáticos FC

A verdadeira história de ...

Amor nos tempos de corona...

Quarentena

Da natureza

Flatulência mental

Do amor que er[r]a

Canção do Exausto

Mineral

Joker

Torcedores FC

O alcoólatra

Animais e refeições

Remoenda

Joinha

A riqueza amazônica

Astros ilícitos

Estrela submersa

Triturados

Manhãs bragantinas

A gaiola

Aquífero paulistano II

O laranjal

Black Friday

Aquífero paulistano

Confira também




Todas as publicações

subscrever feeds

Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

Felicidade clandestina

Felicidade, quanto tempo não há sinto
Nada mesmo, nem uma pequena
Guardo a tempo um fervor faminto
Ânsia extrema de senti-la plena


Pelo corpo, mazelas, muitas dores
Pensamento me alivia... Amores
Boas lembranças anteriores
Que ajudam, espantando os temores


Um dia por ai, em certa ocasião
Alguém amigo veio e me disse:
“É melhor ser feliz, do que ter razão!”
Minha alma aprendiz se aprendesse
No momento, talvez não sofresse


A razão iluminou todo o mundo
E criou nele um estado profundo
De obscura e densa depressão
Uma loucura coletiva de solidão


Lutamos sempre pela verdade
Mas no decorrer da nossa idade
Descobrimos que tudo na cidade
Não passa de uma tremenda ilusão


E que a verdade é uma mentira gostosa
Bem dita ao pé do ouvido, soa deliciosa
Menina manhosa... Dengosa... Melindrosa
Alivia nossa vida, que é dura e conflituosa


Não sei o que o futuro me destina
Então, independente se é de verdade
Ou não, quero sentir toda a felicidade
Possível, nem que seja ela clandestina

 

Felicidade...
Iceberg sem ponta, submerso sei lá onde
Boiando no fundo de algum mar
De adversidades.

 

Clique no assunto: , ,
Publicado por AB Poeta às 15:44
Link do post | Comentar | ADD favoritos
2 comentários:
De Andreia Aristóteles a 11 de Novembro de 2009 às 16:33
PROFUNDO ESSE POEMA HEIM CRIANÇA, NOS FAZ REFLETIR SOBRE MUITAS COISAS E AI NOS PEGAMOS CONCORDANDO COM ALGUNS VERSOS, VENDO QUE MUITAS VEZES A VIDA IMITA A ARTE OU SERÁ O CONTRARIO. TUDO DEPENDE DO PONTO DE VISTA E DESSA BUSCA DESENFREADA PELO CONHECIMENTO. POR QUE MUITAS VEZES NAO SABEMOS O QUE FAZER COM ELE, O ENGRAÇADO E QUE ESSA BUSCA NAO TEM FIM E COMO UM MONSTRO NOS DEVORANDO SEMPRE POR MAIS...
AGORA VAMOS FALAR DA VERDADE, VERDADE QUE ESTA DENTRO DE TDS NÓS, SÓ QUE A VERDADE NEM SEMPRE E BONITA POIS NAO VEM ENFEITADA. E AI VEM A PERGUNTA SERÁ QUE ESTAMOS PREPARADOS PARA A VERDADE? O QUE É FELICIDADE? ONDE PROCURAR? E MAIS IMPORTANTE COMO RECONHECE-LA?
A IDADE HJ ME FAZ VER QUE EU SEMPRE VOU PREFERIR A VERDADE POR MAIS QUE EU ME DOA, PQ SÓ VAI DOER HJ, AMANHA NAO TEM MAIS O PODER DE ME MACHUCAR, QUEM SABE ESSA DOR NAO VAI ME TRAZER CURA, OLHAR MAIS PARA DENTRO DO MEU SER E VER AONDE EU QUERO CHEGAR E COMO QUERO ESTAR.
PQ A MENTIRA POR MAIS DOCE QUE VENHA A SER NA HORA E COMO UMA MULHER MARAVILHOSA QUE SE ENCONTRA NA NOITE TD MAQUIADA, PRODUZIDA, QUE TE DEIXA FASCINADO, ENCANTADO, IMPRESSIONADO, MAS AI VEM O DIA COM TD A SUA LUZ, A MAQUIAGEM DERRETEU, SE FOI.... E VC COMEÇA A VER QUE AQUELA PRODUÇAO TD NAO ERA NADA MAIS QUE ILUSAO, PASSOU, AS RUGAS ESTAO LA, OS OLHOS NAO SAO VERDES....CARAMBA AQUELA MULHER NAO EXISTE, E VC PROCURA E NAO HÁ ENCONTRA, AI FICA A PERGUNTA VALEU A PENA AQUELA NOITE SE NA REALIDADE ELA NAO EXISTIU?
VAMOS PARAR POR AQUI PQ SE NAO EU ESCREVO ATE.....
De AB Poeta a 7 de Setembro de 2013 às 03:58
relendo algumas poemas, só vi esse comentário hoje! rs

Vlw Andreia!

bj

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Clique no assunto

todas as tags