André Braga

Outubro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

Sobre nossos ombros

1000 dias de regresso

O agro é

Futuro

Clara escuridão

Fome

Trambolho

Criacionismo

Jair e o pé de feijão

Sextou!

A invasão

A marcha dos valdevinos

A nova independência

O dia do golpe

#ForaBolsonaro

O agro é pop

Rega-bofe

Medidas

“Ô abre alas que eu quero...

o pulso ainda pulsa...

Tempos frios

Espelho meu

Frio

Expiação

Mitomania

Tropa laranja

um poema solto no espaço....

Copropolítico

Marcha do xilindró

Fecopolítico

Credo

Habeas porcos

Síndrome de Estocolmo

Necropolítica

Nas ruas

Já vai tarde

Estafeta do capeta

O homem sem qualidade

Dor nossa de cada dia

A alegoria como verdade

2022

Golpistas

Brasil à deriva

Marchinha do militar com ...

"Eggo"

A flor do jardim

Aquários

Cala boca já morreu

Corticoides

Bandeira preta

Confira também



subscrever feeds

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

Tempo

O tempo constrói a pedra
Com a pedra construo o templo
No templo arquiteto a vida
Traçando uma linha finita
Na linha infinita do tempo


O tempo é parado, parado em si mesmo
Ensimesmado eu, mato o tempo
Sem tempo ser-me: contratempo
Luta difícil, contra o tempo
Pele riscada, rosto sulcado
Marcado pelo tempo


Relativo, o tempo, que se dilata
Dimensão curva, talvez seja a quarta
Viagem no tempo: sonho possível
O tempo que vem, vem imprevisível


O tempo é invento, preso ao relógio
Cravado ponteiro indicando o horário
Tempo marcando o tempo marcado
Não vê a hora de ser dilatado
Na curva do espaço, já é sem tempo


O tempo não pára, o tempo só passa
E eu passo o tempo, correndo e vivendo
Enquanto a vida, veloz passa-tempo
Seguindo em frente, nos ultrapassa


De tempo ao tempo, pois ainda há tempo
...
 

 

Foto de Eric Neumann - Click e vejo o fotolog

Clique no assunto: , , ,
Publicado por AB Poeta às 03:21
Link do post | Comentar | ADD favoritos
5 comentários:
De Mirella Santos a 23 de Setembro de 2009 às 13:44
Qtas inspirações dessas imagens do Éric, hein? rs.
O tempo... já ouvi demais:" corro atrás do tempo perdido". Que bobagem! O tempo está sempre ai... não se perde, e nem se ganha... apenas se vive!
É como uma médica já me disse: " não existe recuperação do sono que não se dormiu. O que não se dormiu nessa noite, já foi". E ai faço um paralelo: não há recuperaçao do tempo que se perdeu... o que aconteceu, já foi. Mas pode-se fazer uma releitura do que foi vivido, do que está vivendo ou até mesmo um possível "planejamento" do que está para vir.
De AB Poeta a 23 de Setembro de 2009 às 20:29
Olá Mirella!

O Eric me disse que está pensando em fazer um livro com essas fotos, e que queria alguém para escrever algo sobre elas, em forma de poema. Peguei algumas fotos e estou tentando escrever algo... Aos poucos tá saindo.

Bjos
De Mirella Santos a 24 de Setembro de 2009 às 13:46
Nossaaa, que ideia do caralho! Adorei tudo, a iniciativa, as fotos, os textos.... parabéns aos dois! E com certeza vou cobrar um exemplar autografado por seus criadores, hein.....
De Marisa a 21 de Setembro de 2011 às 02:25
é isso mesmo, tempo é invento preso no relógio.

tempo é invento
em vento

é isso mesmo

putz, adorei esse
De AB Poeta a 21 de Setembro de 2011 às 02:31
o tempo é um negócio estranho rsrs...

Vlw pelo comentário!

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags