André Braga

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

Dívida histórica (ressurr...

O culto

Passando a sacolinha

Alô, câmbio

Mercado da fé

Haicais na lápide

Armada

O supremacista pardo

A verdade sobre a mentira...

Primeiro de abril

Herói servil

Estreitando relações

xou da xoxa

Neopentecostal no país do...

Fura-fila

Ensaio sobre a cegueira

Arrebatados

O pária

Diálogos desencontrados

Voto impresso

Sobre nossa política

Cancelamento

Bocaberta

Pragas

Carnacaserna

Fazendo a feira

Fartura

Ménage matinal

Gata borralheira

Bonito na foto

Adestrado II

Adestrado

Corpo incivil

Tomando no centrão

Homem ao mar II

Vacina brasileira

Homem ao mar

Intolerâncias

Como as ruas já diziam

Piada mundial

Impeachment já!

Feliz Natal

Doenças nossas de cada di...

Madrugar

O dia do Saci

Eterno halloween

A fruta proibida

Constructo

O "astronada"

Oito vezes 10

Confira também




subscrever feeds

Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

Se não é que já estou morto

A pressão que meu peito sofre
Já não me põe mais medo
Aviso inconsciente ao meu ser
Que não parecer ser mais o mesmo.
Ardor puro! Preciso morrer!
Repouso confiante a navalha assassina
Escorre espuma como se fosse sangue
Sufoco a mórbida pia,
Abandono o que me é verdadeiro,
A privada é uma ilusão.
Eterno corpo surrado
Meu cheiro natural
Violentamente marginalizado.
Passos quente em piso frio,
Cem nomes de algozes tatuados na pele.
Nego a ser o divino animal terrestre
Ser o que é,
Agora irei morrer
Como um lagarto faminto.

 

Desenho de Elis Silva (aos 3 anos de iadade)

 

Poema de autoria de Sérgio Silva, baseado no meu contoPreciso Morrer.

Clique no assunto: ,
Publicado por AB Poeta às 17:35
Link do post | Comentar | ADD favoritos
6 comentários:
De Mirella Santos a 10 de Setembro de 2009 às 18:46
André, tá td bem??? hahahaha
Brincadeiras à parte, AMEI seu blog... com certeza passarei a lê-lo sempre!
Bjo gde e até a noite
Ps: O texto, de maio, sobre a falta da profa. Elisabeth está ótimo! Dei aquela risada q no fundo é um pouco triste, sabe?
De AB Poeta a 10 de Setembro de 2009 às 20:50
Olá Mirella, você quer saber se está tudo bem?
Bem, às vezes bem, outras bom, umas nem, sem ou com quem o mal vai e vem... Nada além. Mau nunca. Feliz com o que tem, alterando "quero mais" com "quero é mais", não mais, tudo bem!

Vlw pelo comentário.

Bjos
De Mirella Santos a 10 de Setembro de 2009 às 21:18
Concordo plenamente! Para mim, não há momentos de tristeza e nem de coisas ruins, apenas umas pausas para se refletir e assim crescer com o aprendizado.
Mto boa essa sintonia!
bjossss
De Sérgio Silva a 13 de Setembro de 2009 às 14:59
Caro André,
Passo por aqui para dizer olá
e complementar
O desenho deste poema,
tem nome e idade.
Chama-se Elis com três anos ,
minha filha.
Um grande abraço, S.S
De AB Poeta a 13 de Setembro de 2009 às 22:29
Opa! É o primeiro trabalho dela? rs rs

Vou colocar os créditos, já que futuramente será uma grande artista plástica!

Abrçsss
De Sérgio Silva a 17 de Setembro de 2009 às 00:30
Dizem que, dentro de todas as pessoas existe um artista. Aquelas que descobrem esta arte, são os verdadeiros talentosos.

Obrigado pelo crédito a ela,
Abraços, S.S

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags