André Braga

Fevereiro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28

Pesquise

 

Publicações

Cancelamento

Bocaberta

Pragas

Carnacaserna

Fazendo a feira

Fartura

Ménage matinal

Gata borralheira

Bonito na foto

Adestrado II

Adestrado

Corpo incivil

Tomando no centrão

Homem ao mar II

Vacina brasileira

Homem ao mar

Intolerâncias

Como as ruas já diziam

Piada mundial

Impeachment já!

Feliz Natal

Doenças nossas de cada di...

Madrugar

O dia do Saci

Eterno halloween

A fruta proibida

Constructo

O "astronada"

Oito vezes 10

Real indo pro buraco

O diamante da cidade

Para Florbela

Restos da quarentena

Seres do pântano

Curupira pirofágico

Do verde às cinzas

O amanhã a deus pertence

Churrasco

O general de pijama

A covid e o covil

Quando tudo passar

Filho da pátria

Infectados

Quiromania nossa de cada ...

Pasto Brasil II

Asas à burrice

Brincadeiras

Tiro curto

Pasto Brasil

O uso da máscara

Confira também




subscrever feeds

Segunda-feira, 9 de Março de 2009

Trechos

Coisas escritas aleatoriamente.


Um dia sem nada de mais... como a maioria deles. Até que, possibilidades futuras, poderão mudar o rumo das coisas. Ser a mesma coisa em outro lugar, mas com mais nos bolsos, podendo ter mais coisas que amo; amo-as, até possui-las, depois serão, somente, no máximo, peso para papel. Quinquilharias.
Cervejada: falar do presente, comentar o futuro e lembrar o passado.
28/01/09

 

Neste dia finda minha história junto a mais uma empresa. Curta, mas muito boa. Os que aqui fui habitara, temporariamente, somente algumas alheias lembranças dos que ficam. Parto para ser o mesmo e outros em outro lugar. Mesma função, mesmo desejo, mesmo... Qual vai ser a diferença? A mudança tem um efeito psicotrópico. Na hora que acontece, alivia a angústia, devolve-me certa paz. Paz que no decorrer do tempo, alazão, some...
30/01/09

 

O tempo é assim: numa piscada de olhos, passa por mim, sem se importar se percebo-o ou não. Ele passa, já era, sem choro, sem vela, só deboche. Quando se encara qualquer coisa de frente, com ódio, vira-se as costas para o que, à cada um, pode ser, bom. A felicidade é um sentir que varia conforme a forma com que se enxerga as coisas.
05/02/09

 

Um brilho no azulejo do banheiro que, ao refletir a fria luz fluorescente em meus olhos, remete minha mente, de forma automática, involuntária, imperceptível, à uma série de imagens sucessivamente cognitivas, uma puxando a outra, alterando, ou alternando, meu matinal, e natural, mal humor. Da água ao vinho, do vinho ao vinagre... acordo azedo.
16/02/09

 

A verdade é apenas uma mentira boa para se acreditar. Nada vale mais a pena, ou vale tanto quanto, sentar-se para mascar um chicle. O amor reside nas coisas que, ainda, não tenho; é ausência.
28/01/09

 

 

 

Não tenho culpa se ela é assim

Desfilo com ela estampada na cara

Minha alegria não finda

Se se irritam com isso, o que esperam que eu faça?

Veja direito: minha alegria não a sua desgraça

Bebem veneno e esperam que eu morra!

O ódio só atinge quem o sente

Não serre os punhos, mostre-me os dentes

A alegria, para mim, é um vício

E desse vício eu faço virtude!

03/02/09

 

A simplicidade é um querer nada. É um “ser feliz” por não esperar nada. A minha simplicidade isenta-me do plano material. Quando não tenho a simplicidade, sinto-me um nada. E sentir-se um nada é querer algo que não se tem. O material destituí-me de ser-me. Só sou o que sou quando não quero, quando não desejo. Quando quero, desejo e obtenho, passo a ser o obtido, e não mais eu. A simplicidade me protege, e ajuda-me a ser quem eu realmente sou: um nada que deseja nada para tentar ser o que se é!

05/03/09

Clique no assunto: ,
Publicado por AB Poeta às 01:41
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags