André Braga

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

Pesquise

 

Publicações

Fecofilia

O fosso

Máximo X Mínimo

Cordialidade

Dívida histórica (ressurr...

O culto

Passando a sacolinha

Alô, câmbio

Mercado da fé

Haicais na lápide

Armada

O supremacista pardo

A verdade sobre a mentira...

Primeiro de abril

Herói servil

Estreitando relações

xou da xoxa

Neopentecostal no país do...

Fura-fila

Ensaio sobre a cegueira

Arrebatados

O pária

Diálogos desencontrados

Voto impresso

Sobre nossa política

Cancelamento

Bocaberta

Pragas

Carnacaserna

Fazendo a feira

Fartura

Ménage matinal

Gata borralheira

Bonito na foto

Adestrado II

Adestrado

Corpo incivil

Tomando no centrão

Homem ao mar II

Vacina brasileira

Homem ao mar

Intolerâncias

Como as ruas já diziam

Piada mundial

Impeachment já!

Feliz Natal

Doenças nossas de cada di...

Madrugar

O dia do Saci

Eterno halloween

Confira também




subscrever feeds

Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008

Funk do Picolé

Depois de aventurar-me na composição de algumas marchinhas de carnaval, um outro ritmo que despertou-me interesse em, tentar mais uma vez, compor algo, foi o Funk carioca. Acredito que todas as pessoas que habitam a terra brasilis, pelo menos uma vez, de maneira voluntária ou não, ouviram um Funk, desses bem linguisticamente “elaborados”, e que, depois de uma vez ouvido, nunca mais sai da sua cabeça (chamo isso de chiclé-music). O que impressiona nessas composições, ta certo que algumas são muito escrachadas, mas, mesmo assim, repare como as letras são extremamente simples. Você deve estar falando - “porra, esse cara ta postando merda” - mas então, é o seguinte, tenta você compor um Funk! Cara, é incrível, é muito difícil fazer algo tão simples! Na tentativa de fazer algo “simples”, compus este:


Funk do picolé
Letra: MC Fat (André Al)

Fui pra praia no verão
Comprei um picolé
Na barraca do alemão
Que é lotada de mulher

 

Cheguei numa gatinha
Chamei para um rolé
Com toda educação
Ofereci meu picolé

 

Ela ficou vermelha
E respondeu dengosa
- Chupar seu picolé? Só se for agora!

 

Então - chupa vai, chupa vai, chupa vai, chupa, chupa!
Então - chupa vai, chupa vai, chupa vai, chupa, chupa!

 

Ela chupou todinho
Que gulosa que ela é
Só sobrou o palitinho
Do meu picolé

 

Ela queria outro
- Qual sabor que você quer?
De baunilha ou chocolate?
- Me traz o que tiver!

 

Na do alemão já era
Fui buscar na do José
Porque o que interessa a ela
É chupar o picolé

 

Então - chupa vai, chupa vai, chupa vai, chupa, chupa!
Então - chupa vai, chupa vai, chupa vai, chupa, chupa!

Clique no assunto:
Publicado por AB Poeta às 01:01
Link do post | Comentar | ADD favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags