André Braga

Julho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pesquise

 

Publicações

Bang-bang à brasileira

História intrínseca

Tapando a fossa

O eufemismo nosso de cada...

O burrico e a cenoura

Detrito federal

Os mendigos de gravata

Campeão mundial da vergon...

O mestiço

Urna funerária

O coral dos mudos

Comitiva desventura

Moral da história

Pelo fim da “sofrência”

Com a faca e o queijo nas...

O inevitável dragão que n...

João, o desavindo

O rei, o servo, o sonho

Burnout

Estaca zero

Vila Rica

Quinto dos infernos

O sacro de Ouro Preto

No compasso dos corações

Cegueira voluntária

Virando fumaça

Falta de Nação

Forças Mamadas

O mito da caserna

I did it my way…

São Paulos*

E o Oscar vai para

O pai tá on… onde?

Mamãe, falei...

Sobre o “vencedor”

Conflito

Sempre presente

Banco Nacional de Humanid...

Bichos escrotos

Laudêmio

A volta ao inverno russo

O bandido de patente

O relógio de areia

O presidente trans

O reservista

Uma estória triste de pes...

E ela se foi...

Vagabundo à beira mar

deus ex machina

Estatística de natal

Confira também



subscrever feeds

Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Quando Nietzsche Chorou - Irvin D. Yalom

Ambientado em Viena do final do século XIX, o romance Quando Nietzsche Chorou, o primeiro do psicoterapeuta Dr. Irvin D. Yalom, conta de maneira ficcional, com personagens que realmente existiram, mas que, alguns deles, nunca se encontraram na vida real, o nascimento da psicanálise.


O fisiologista austríaco, o Dr. Josef Breuer (1842–1925), empolgado com a cura da paciente Anna O., através de um novo método de tratamento, a “terapia através da conversa”, aceita tratar o depressivo suicida amigo da jovem e belíssima russa Lou Salomé (1861–1937), o filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900). O filosofo já havia tentado anteriormente tratamento com dezenas de médicos, de toda a Europa, mas sua crise existencial parece ser uma barreira intransponível. O que acontece durante esse tratamento é uma relação na qual médico e paciente se confundem, pois o Dr. Breuer encontra na filosofia de Nietzsche respostas para seus conflitos internos, suas obsessivas fantasias sexuais com sua ex-paciente recém curada. Ele relata todo o tratamento para seu discípulo, o então jovem médico, e futuro pai da psicanálise, Sigmund Freud (1856-1939).


Literatura e ficção se fundem nesse romance cheio de personagens reais que transformaram e mudaram os rumos da humanidade.

 

 

YALOM, Irvin D..Quando Nietzsche chorou. Ediouro publicações. 24º edição. Rio de Janeiro.

 

Baixe para ler: Quando Nietzsche Chorou - Irvin D. Yalom

 

* Em 2007 o livro ganhou uma versão em filme: Quando Nietzsche Chorou (EUA, 2007) - Direção de Pinchas Perry.

 

Clique no assunto: , , , ,
Publicado por AB Poeta às 01:24
Link do post | Comentar | ADD favoritos
1 comentário:
De Tati (ex prof) a 15 de Novembro de 2008 às 12:13
Oi André,
To lendo seu blog sim. Aliás, gostei muito deste livro.

Beijos,

Comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda


Poesias declamadas



Todas as publicações

Clique no assunto

todas as tags