Manifestações consciente do inconsciente. Contos e poesia crônica.

Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquise

 

publicações

Insights

Confira também



todas as publicações

subscrever feeds

Sábado, 6 de Dezembro de 2008

Insights

Encontrei alguns rabiscos deixados por ai... Decidi publica-los.


A maior derrota que uma idéia pode sofrer, não é o fato dela acabar num gigantesco fracasso, é simplesmente ela não ser posta em prática. O medo provoca o descaso próprio.
07/04/05


Paz, harmonia e equilíbrio governam minha mente em todas as ocasiões.
(Oração feita com base no livro 
O Poder do Subconsciente – Dr. Joseph Murphy)

 

Vinha caminhado pela calçada, voltando do trabalho para casa, como todos os dias. Atravessava a avenida sempre por dentro da estação do metrô, era bem mais seguro. Ela estava no ponto de ônibus, segurando a bolsa à frente do corpo, os longos e negros cabelos estavam soltos, vestia jeans e uma blusa branca cheia de pequenas estampas. Com um sorriso maravilhoso estampado em seu rosto alvo e doce, sinalizou-me. Fiquei acanhando, devolvi um sorriso tímido, e fui... O ônibus chegou, ela entrou, sentou-se, e nunca mais a vi.
19/04/05


O tom de voz é inversamente proporcional ao nosso nível de incômodo. Sempre desconfie, de alguém que diz gritando, que não está se incomodando com nada.
07/07/08


Nunca tive medo da vida. O que sempre tive foi dúvida sobre o que é a vida.
07/07/08


A vontade que arde no peito e, antes, explodia em palpitações aceleradas e totalmente descompassadas, agora rompe em lágrimas. Parece algum tipo de evolução dos sentidos, um autocontrole, mas ainda pouco controlado. Preciso canalizar melhor essa energia, para que desembeste de vez em palavras.
07/07/08


Hoje as pessoas ficam chocadas com as pessoas que não mais se chocam ante notícias chocantes! Normal... As que não mais se chocam estão percebendo, aos poucos e inconscientemente, que todos, de alguma forma, morrem. Acidentes, doenças, assassinatos, etc., nada disso é novidade. O que se pode achar novo, hoje, é o fato de perceber que toda essa “anormalidade” social é absolutamente normal. Sempre existiu. A distância do passado é que faz crermos que tudo o que está acontecendo (novamente, vale lembrar) parece ser, ou soa, como algo novo e absurdo. Como já dizia Eclesiastes: “O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.” O grande, e verdadeiro absurdo, é crer que ainda há, ou a de haver, coisas novas e absurdas. Malditas são as leis, pois foram elas quem criaram os absurdos! Malditas são, estas mais ainda, as regras sociais, que se renovam, em silêncio e imperceptivelmente, julga e condena-nos dia-a-dia. Condenamos até a nós mesmos!
Só aquele que sabe que não “possui” nada que seja material, é livre! O sentimento de pose é um pensamento medíocre... E a Liberdade é uma atitude, tomada ou não, seguida de um não-pesar na consciência.
01/08/08


A criação divina chamada alma, não passa de inquilino do corpo, e este último, não passa de inquilino do mundo. Quem é subordinado a quem, já que um não existe sem o outro? O grande elo de ligação de tudo isso, que é o que faz com que todos existam, é a consciência.
14/08/08


Quando do ser é humano?
R: Depois de um dia, ou melhor, depois de uma jornada de trabalho, ou algo que se assemelhe, deite-se na cama só com seus pensamentos... É nessa hora que você vai perceber que se sente o peso de ser humano. O que pesa é que, só e em silêncio, você tem que ouvir-se... Debate entre consciência e alma.
Mas tudo bem! Logo você adormece, tem sonhos indecifráveis, para, novamente, acordar, e, sem acordo, entregar o humano que você é ao ser que fizeram de você.
Tenha um bom dia!
14/08/08


O difícil de ser humano é ter que viver um eterno negar-se. Cozinhar é negar-se, vestir-se é negar-se, perfumar-se é negar-se, falar é negar-se, malhar é negar-se, educar-se é negar-se... O homem é o único animal que nega-se a ser o que é.
05/12/08

 

Download para ler:O livro do desassossego - Fernando Pessoa

Clique no assunto:
publicado por AB Poeta às 01:30
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda



Poesias declamadas


Clique no assunto

todas as tags