Manifestações consciente do inconsciente. Contos e poesia crônica.

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

pesquise

 

publicações

Um minuto de silêncio

Moluscos

Banquete

PEC(ados)

Lavrador

Declaração

Modelo

Encalço

Haicai V

Viagem

Numa fria

Poema antigo

Encontros

Ombrax

Sós

Coração violento

O que não passa?

Qual será a senha?

Marcados

Cada casa

Lançamento

A desmetamorfose

Um vazio

Paraíso

Noites de Verão

O relógio da vovó

Conto de Fadas

A fonte

Um par

contratempo

a bunda dela

ambidestro

mãe dos sem mães

advérbio

quando fomos nuvens

fossa

prateando

banquete

renda-se

pecado

translação

o fio vermelho

arte final

ossos do ofício

delinear

sinfonia

passarinha

fotogenia

Instagram

a rua e o rio

Confira também



todas as publicações

subscrever feeds

Terça-feira, 5 de Outubro de 2010

Quero querer

 

“Eu te amo”

Quase lá foi a frase pela minha boca

Voando em pauta musical...

 

Mas freei antes!

Porque não sei o que isso quer dizer: eu te amo

 

Não sei se te amo

Mas sei que te quero

Quero a ti mais do que te amo

 

Querer é mais que amar

Amar é gostar

Querer é querer ter perto

Junto

 

O eu te amo só funciona no cinema

Quando o mocinho beija a mocinha

Entra a música e sobem as letras

Acaba a história e o eu te amo

Fica congelado no fotolito

Vai pra caixa e depois pro arquivo

E o casal nunca mais se separa

 

Por isso te quero mais do que amo

 

Não somos um filme

Nem uma foto

Nem seremos arquivados juntos

 

Quem ama dá adeus do portão

Dá adeus e deseja sorte

Deseja sorte e reza

Reza e pede a Deus

Que a dê sorte

Mas e se a sorte a encontrar?

 

Daí o amor vira rancor

E o rancor enferruja o portão

Portão que começa a ranger

Ranger os dentes podres

Sem sorriso que não quer abrir mais

 

Por isso te quero

Quem quer dá tchau sem querer que se vá

Dá tchau e quer de volta

Dá tchau depois do portão

Vai até a esquina da outra esquina

Dá tchau, mas já quer de novo

Volta querendo-a de volta

De novo querendo-a revolta

 

Não pede a sorte. Quer!

Não reza. Quer!

Nem pede rezando a Deus. Quer!

 

Mais do que te amo, te quero

Quero junto

Grudado junto quero

Quero aqui

Quero aqui junto grudado quero

 

É um quero

Não um quero-quero na gaiola

Que só canta porque não sabe chorar

É um quero nos braços

É um quero bem

É um bem que quero

É um querer que quer bem querido

É um querer no colo

É um colo que quer

É um querer que quer querer mais

 

Eu te amo é um sei lá que se diz

Por dizer

Sem saber se se sabe mesmo se quer

 

Quem diz querer é porque sabe

Porque querer é mais do que amar

 

E é por isso que te quero

Muito mais do que te amo

Clique no assunto: ,
publicado por AB Poeta às 01:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
4 comentários:
De ANDREIA ARISTOTELES ANDRADE a 6 de Outubro de 2010 às 21:08
Eu sou um pouco suspeita para comentar sobre o poeta, entao vamos falar do poema em si, quanta profundidade ne? quanto sentimento prestes a entrar em erupçao. A sensaçao que tive qdo li e olhs que praticamente engoli as palavras e que o poema iria saltar na minha frente e criar vida, cemecei a viajar lendo cada verso, ja tentava ver os amantes juntos, e bom, muito bom um texto assim cheio de sentimentos
De AB Poeta a 6 de Outubro de 2010 às 21:13
Vlw Andreia! Sempre que puder, opine! Seu comentário é sempre legal!
Bjo
De Naty a 7 de Outubro de 2010 às 04:07
...é...sem comentar, comento, cada verso...cada anseio...cada gesto, um desejo...selado, molhado...um beijo...
De AB Poeta a 7 de Outubro de 2010 às 13:06
um querer bem, que não quero que acabe...

comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda



Poesias declamadas


Clique no assunto

todas as tags