Manifestações consciente do inconsciente. Contos e poesia crônica.

Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquise

 

publicações

Banquete

PEC(ados)

Lavrador

Declaração

Modelo

Encalço

Haicai V

Viagem

Numa fria

Poema antigo

Encontros

Ombrax

Sós

Coração violento

O que não passa?

Qual será a senha?

Marcados

Cada casa

Lançamento

A desmetamorfose

Um vazio

Paraíso

Noites de Verão

O relógio da vovó

Conto de Fadas

A fonte

Um par

contratempo

a bunda dela

ambidestro

mãe dos sem mães

advérbio

quando fomos nuvens

fossa

prateando

banquete

renda-se

pecado

translação

o fio vermelho

arte final

ossos do ofício

delinear

sinfonia

passarinha

fotogenia

Instagram

a rua e o rio

viva voz

anseio

Confira também



todas as publicações

subscrever feeds

Domingo, 25 de Julho de 2010

Recenseando

 

O Brasil é feito de vidas

Mas há Brasis que são feitos de morte

Severina se apresenta para os sem-sorte

Que pelas barrigas ocas foram paridas

 

Juliano marcou o tempo a gosto

E hoje ele é referência

De porta em porta a diligência

Fará o trabalho disposto:

 

“Bom dia minha Senhora,

Vim depois da aurora

Para não lhe causar incomodo”

 

“Que nada meu filho

Já acordo ralando milho

Entre, deixe de modo”

 

“Não precisa, muito obrigado

Já me contenta o bom trato

Eu pergunto daqui e tu dizes daí

Assim é rápido, que nem asa de bem-te-vi”

 

“Então pergunte, qual é o quesito

Dita daí, que daqui lhe dito”

 

“É pouca coisa: sobre a vida

O pão, o fogão, sobre a lida”

 

“É, filho, então é pouco mesmo

Como pode vê, tenho muito não:

Ali é minha maloca

A luz é de lampião

A horta é de mandioca

Que me dá tapioca

Mas o solo não é meu não,

A água é de poço

O banheiro é um fosso

Tenho só uma muda de roupa

Um galo que não cacareja

Há tempo não vejo garoupa

E sou mulher Sertaneja”

 

“E com a Senhora, mora mais alguém?”

 

“Não meu filho, ninguém

Meu marido a muito faleceu

Minha filha, que era moça direita

Se imbestô com Irineu

Aquele, que só desrespeita

E ela com ele desapareceu

Me fez essa desfeita

E agora, entre o céu e o chão

Tá por ai nesse mundão”

 

“E qual é a sua renda?”

 

 “Renda? Só se for de linho!

Às vezes me ajuda o vizinho

E me da um punhadinho.

Comida quem me põe na boca

É a mãe natureza, que pare da terra

E quando a estação encerra

Pra mesa me volta a dureza...”

 

“Minha Senhora, já acabei!

Viu, seu tempo não tomei,

Agora, assine aqui para mim”

 

“Assino... se soubesse

Mas não sei fazer isso não

Do nome só faço rabisco

De ensino o povo padece”

 

E o recenseador agradeceu e saiu

Contou mais um, mais cem, mais mil

Nesse país gigante. E logo a diante

Parou e refletiu:

 

“Conto, conto, conto...

E continuo sem um conto.

Já to tonto de ir em tanto canto

E contar que conto para que o montante

Possam dividir em proporção igual

Apesar de admitir que está muito desigual.

Espero que não tratem o resultado

Que para conseguir foi custoso e suado

Não o apliquem de forma banal

E que toda essa situação alguém reveja

Pois quero ver a Senhora Sertaneja

Pelo menos, com uma muda no varal”

 

(De dez em dez as galinhas enchem seu papo)

Clique no assunto: , , ,
publicado por AB Poeta às 02:57
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
78 comentários:
De Fabrício a 25 de Julho de 2010 às 16:26
Cara muito show, parabéns!
De AB Poeta a 25 de Julho de 2010 às 17:57
Vlw brother, obrigado pelo comentário! abrçss
De anónimo a 3 de Agosto de 2010 às 17:24
nossa que criatividade;espero que todos pensem assim
De AB Poeta a 3 de Agosto de 2010 às 22:18
Vlw brother pelo comentário!

Abrçss
De Ana Paula a 8 de Agosto de 2010 às 17:58
Cara muito bom esse seu poema.Parabéns...
De Raquel a 10 de Agosto de 2010 às 20:25
Muito legal...gostei....
De AB Poeta a 10 de Agosto de 2010 às 20:41
Obrigado, Raquel, pelo comentário!

Bjs
De Rah a 25 de Julho de 2010 às 16:35
Muito bom ! espero tbm q tratem o resultado de forma legal ^^
De AB Poeta a 25 de Julho de 2010 às 17:58
Vlw, obrigado pelo comentário!
De THATHY TRAVESSA a 25 de Julho de 2010 às 17:54
MANEIRO....
De AB Poeta a 25 de Julho de 2010 às 17:58
Vlw pelo comentário! bj
De Fernanda Franca a 25 de Julho de 2010 às 19:45
Olá.. sou recenseadora, peço licença para usar suas palavras no meu orkut..citarei a fonte! adorei ! muito sensível =)
De AB Poeta a 25 de Julho de 2010 às 19:49
Olá Fernanda, pode usar lá sim! Obrigado pelo comentário e o prestígio! Me add ai tbm! bj
De Helia Mendes a 25 de Julho de 2010 às 20:45
Comecei ler seus versos só pra conferir pq adoro poemas, pesias ... enfim, acheio mto bom !
Meu amigo vc ta de parabens, voe alto vc vai longe.
posso colocar no meu orkut tambem ?
bjos e fica com Deus !
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 00:37
Pode sim, claro! Só coloca o link junto, ok!

Vlw pelos elogios!

Bjo
De Amanda a 25 de Julho de 2010 às 21:59
Poxa, tu estás de parabéns, mandou MUITO.
Até falei sobre tal no meu twitter, e coloquei o link daqui para que os interessados vissem.
Então, parabéns!
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 00:38
Vlw pelo comentário e a twittada!

Me add ai @mundoid

Vlw

bj
De Marciel a 26 de Julho de 2010 às 01:07
Legal cara!
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 01:30
Vlw cara, pelo comentário!

Abrçss
De Thiago Martins de Souza a 26 de Julho de 2010 às 13:23
Olá jovem.. Belas palavras. Também sou recenseador e gostei de suas letras. Parabéns.
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 13:53
Vlw cara, obrigado pelo comentário!

Abrçss
De Ademar a 26 de Julho de 2010 às 16:11
também irei trabalhar no censo e gostaria de divulgar suas palavras no meu orkut.
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 16:34
Blz Ademar, pode colocar! Só coloca o link junto.

Me add ai no orkut tbm.


Abrçss
De Marcelo Mafra a 26 de Julho de 2010 às 16:35
que narrativa maravilhosa.... retrata de forma nua e crua a realidade que estamos - infelismente - nos acostumanos, mas acredito que existe pessoa que já dispertaram e estão prontas a reagir de alguma forma!
De AB Poeta a 26 de Julho de 2010 às 16:36
Com certeza, faço minhas tuas palavras!

Vlw pelo comentário!

abrçss
De Ana Paula a 8 de Agosto de 2010 às 18:08
oi,eu sou ACS e amei seu poema,usarei no meu kut e ja te sigo no twitter @paulinhatorres
De AB Poeta a 8 de Agosto de 2010 às 18:22
Oi Ana, pode colocar no orkut sim, só pesso que coloque o link do blog junto, ok!

Vlw pelo comentário!

Bjs

comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda



Poesias declamadas


Clique no assunto

todas as tags