Manifestações consciente do inconsciente. Contos e poesia crônica.

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

pesquise

 

publicações

Um minuto de silêncio

Moluscos

Banquete

PEC(ados)

Lavrador

Declaração

Modelo

Encalço

Haicai V

Viagem

Numa fria

Poema antigo

Encontros

Ombrax

Sós

Coração violento

O que não passa?

Qual será a senha?

Marcados

Cada casa

Lançamento

A desmetamorfose

Um vazio

Paraíso

Noites de Verão

O relógio da vovó

Conto de Fadas

A fonte

Um par

contratempo

a bunda dela

ambidestro

mãe dos sem mães

advérbio

quando fomos nuvens

fossa

prateando

banquete

renda-se

pecado

translação

o fio vermelho

arte final

ossos do ofício

delinear

sinfonia

passarinha

fotogenia

Instagram

a rua e o rio

Confira também



todas as publicações

subscrever feeds

Domingo, 7 de Dezembro de 2008

Os Almôndegas Selvagens

Em meados do ano de 1994, quatro rapazes (nenhum de Leverpool) que serviam à pátria no mesmo quartel – 2º Batalhão de Polícia do Exército, quando ainda era na Abílio Soares, SP/SP – formaram uma banda, os Almôndegas Selvagens, com o intuito de fazer um som extremamente punk, com letras de protesto, performances agressivas e visual podre. A banda, que supostamente seria conhecida em todo o circuito alternativo, nunca saiu do papel, mas habitou vivamente nossos pensamentos rebeldes e sonhos juvenis, ambos potencializados pela vida militar obrigatória indesejada.


Os Almôndegas Selvagens nunca subiram num palco, tocaram numa garagem, num quintal, nem mesmo se reuniram num bar, esquina... Mas foi intensamente vivo em nossas conversas, e essa rebeldia juvenil que queríamos expressar revive a cada palavrão, cada gesto de indignação que emerge diante de uma situação de injustiça, de descaso com a população. Um de nossos “fãs” escreveu uma letra – Falsa Sociedade – que nunca foi gravada, tocada, nem mesmo assobiada, não tem cifra, tablatura, muito menos uma partitura, mas tem o “espírito” da banda.

 

 

Segue letra:

Falsa Sociedade
Letra: Marco Amorim

Vivemos numa falsa sociedade
Somos enganados totalmente
Somos escravos da cidade
Sistema que aliena tanta gente
Por que é assim? Por que é assim?
Tanta exploração, até parece o fim!
A religião é só mentira
São estórias pra ninar criança
Pois falta uma coisa que perdemos
Ela se chama esperança
Enquanto alguns comem com fartura
Outros morrem de fome
Vivem jogados na sarjeta
E nem sabe o seu nome
Por que é assim? Por que é assim?
Tanta injustiça, até parece o fim!

 

A cada escarrada e cuspida disparada os Almôndegas Selvagens são relembrados, inconscientemente...

 


Cartaz para divulgação dos shows que nunca aconteceram - O número de telefone que aparece era o do orelhão que tinha no quartel.

 

 

Download pra ouvir:

Dead Kennedys - Holiday in Cambodia

Ratos de Porão - Crucificados pelo Sistema

Garotos Podres - Anarquia Oi!

Inocentes - Pátria Amada

Fogo Cruzado - Desemprego

Cólera - Suburbio Geral

 

Completos:

Ramones - Greatest Hits

O Começo do Fim do Mundo - Festival Punk 1982

Sub

Ataque Sonoro

 

 

Pra ler:

 

Coleção Primeiros Passos - O Que é Punk - Antonio Bivar

 

Mate-me, Por Favor - Legs McNiel e Gillian McCain

 

Pra Ver:

 

Botinada - A Origem do Punk no Brasil - Direção: Gastão Moreira

Clique aqui e veja trechos pelo YouTube

 

 

2ºBPE - 1994

 

Soldados: Riguengo, Moraes Gomes, Braga, Santos Pereira, Bicalho e os outros dois de macacão verde não me lembro o nome.

 

 

Cajamar/SP - 1º Acampamento

 

2º Acampamento - A volta para casa

 

 

PE é o guerreiro

Que mata guerrilheiro

Mata, esfola

Usando sempre seu fuzil

PE é o guerreiro

Mais valente do Brasil...

 

Canções - Letras:

Canção da Infantaria

Canção do Soldado

Canção do 2ºBPE

Hino Nacional Brasileiro

 

Canções - Downloads:

Canção da Infantaria

Hino Nacional Brasileiro

 

Comunidade Orkut: Sim, servi a PE em 94!

 

 

Sex Pistols - Anarchy in the UK

Clique no assunto: , ,
publicado por AB Poeta às 14:47
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
5 comentários:
De Marcelo a 7 de Dezembro de 2008 às 22:17
Era uma banda que tinha futuro, só que a gente desistiu antes de começar.
Uns meses depois veio outra banda, os "Mamonas Assassinas", e pegaram o mercado promissor que era nosso. Ali mesmo desistimos de tudo.
De AB Poeta a 8 de Dezembro de 2008 às 00:37
É verdade... Os Mamonas explodiram de tanto sucesso!
Mas você lembra do nome de todos que estão na primeira foto?
De Marcelo a 8 de Dezembro de 2008 às 14:00
O que tá do meu lado acho que é Santos Freitas. O que está atrás era da nossa Cia, mas não me recordo do nome, da mesma forma do colega que está em pé, ao lado, que, acho eu, nem era da CCSv.
De AB Poeta a 8 de Dezembro de 2008 às 21:06
É... Daquele tempo sobrou somente uma vaga lembrança. Tempo bom que, graças a Deus, não volta nunca mais!
De Zk a 1 de Julho de 2010 às 22:28
Pode crer! Reis...
Só um toque de um anarco chato de plantao! Ratos de porao, Garotos Podres, Sex Pisltls (assim q escreve?) N tem nada haver com o Punk! Nada! Garotos Podres inclusive engrossa as fileiras do carecas, versao brasileira dos skinheads ( homofobico, ant nordestinos,o carai...)
Não vou falar o que é o Punk, o que foi e como esta organizaçao subversiva que exista graças a sua resistencia contra cultural & suas muitas formas de driblas a industria cultural .
Caso alguem tenha interesse em estudar este fenomeno urbano chamado movimento anarco punk, busquem organizaçoes punx libertarias que essas tem o compromisso com o punk vivo! ativo subersivo...

...soh um toque p a rapaziada n se confundir!
Tudo de bom a todos os poetas q leem esse blog du
carai!

comentar post

Follow ABPoeta on Twitter
Instagram

Compre meus livros


Livros por demanda



Poesias declamadas


Clique no assunto

todas as tags